Corporação Musical "Liberdade" - Memória

Corporação Musical "Liberdade"  - Memória Projeto de Preservação do Acervo da Corporação Musical "Liberdade", banda criada em 1896, na cidade de São Roque - São Paulo - Brasil
(1)

DOCUMENTOS TRAZEM DE VOLTA O COTIDIANO DA BANDA LIBERDADEApenas um documento, o balanço das contas da Corporação Musi...
23/11/2016
Documentos :: BANDA LIBERDADE Memória

DOCUMENTOS TRAZEM DE VOLTA O COTIDIANO DA BANDA LIBERDADE
Apenas um documento, o balanço das contas da Corporação Musical Liberdade no mês de Agosto de 1957, ano das comemorações do Terceiro Centenário da cidade de São Roque, conta sobre sua intensa atividade cultural na cidade, marcando presença na Festa do Vinho e na "Festa de São Roque" (ou Festa de Agosto), nada menos do que treze apresentações somente nesses eventos.

Como entrada de recursos, a banda recebe Cr$ 1000,00 (mil cruzeiros) por cada apresentação, além de alugar a sede para os ensaios do grupo Jazz Conte (nascido na Banda Conte di Torino), com pagamento semestral.

Os recursos da Banda Liberdade nesse mês foram usados para pagamento de músicos, hospedagem e despesas em suas viagens. Os documentos estabelecem a ligação com casas comerciais e empresas atuantes na cidade, como o "Armazém Nastri" e a empresa de ônibus "Costa", que transporta músicos do bairro do Marmeleiro.

Os documentos, pouco a pouco disponibilizados no site do Centro de Memória da CML, são fontes primárias que indicam caminhos para a construção da historiografia da Banda Liberdade.
Confira no site: http://banda-liberdade-memoria.webnode.com/documentos/#&gid=1&pid=1

O Acervo do Centro de Memória da Corporação Musical Liberdade é composto por centenas de documentos, entre eles, cartas, ofícios, atas avulsas, livros de atas, livros de registros diversos, documentos da área administrativa e contábil. Muitos desses documentos podem ser considerados históricos, pois...

A CARTA DO ARTISTAQuer mais emoção que ler a carta de um maestro, escrita em bico de pena, em segunda pessoa, datada d...
20/11/2016
Documentos :: BANDA LIBERDADE Memória

A CARTA DO ARTISTA
Quer mais emoção que ler a carta de um maestro, escrita em bico de pena, em segunda pessoa, datada de 1927? Só se fosse em filme... Ficção. Só que não. É pura verdade.
"São Roque, 29 de julho de 1927.
Prezado amigo senhor Antonio Pereira Silva
Sirvo-me desta, para agradecer-vos, como intérprete dos sentimentos de bondade dos componentes da C. M "Liberdade", - o voto de felicidades, que me foi dirigido em carta, por vosso intermédio, no dia de meu pobre anniversario natalício.
Crêde que, dentre tantas difficuldades, que a existência me ha obrigado, - nenhuma é digna e consoladora, como a que redundou em proveito do alevantamento artístico da C. M. "Liberdade". Bemdigo, pois, as horas passadas em ensaios fraternos com os nobres Amigos.
Sêde, pois, o meu intérprete junto à Corporação que representaes, no sentido de cingir um amplexo sincero e grato, - todos os meus camaradas de "Arte".
Sou, devotado amigo,
Epaminondas."
Dezenas de documentos contam a história da Banda Liberdade.
Clique no link a navegue pelo site.
http://banda-liberdade-memoria.webnode.com/documentos/

O Acervo do Centro de Memória da Corporação Musical Liberdade é composto por centenas de documentos, entre eles, cartas, ofícios, atas avulsas, livros de atas, livros de registros diversos, documentos da área administrativa e contábil. Muitos desses documentos podem ser considerados históricos, pois...

Novo post no Blog do site da Banda Liberdade.
09/11/2016
Sons, cores, sabores... A Banda no imaginário da cidade

Novo post no Blog do site da Banda Liberdade.

Quem nunca parou um momento para ver a banda passar? Quem não a reconhece pela enormidade de uma tuba, pelo retumbar de um instrumento de percussão, pelo som dos sopros que invade o peito e toca coração? Por Sílvia Mello

Novo post do Blog do site do Centro de Memória da Banda Liberdade conta um pouco sobre o maestro Epaminondas de Oliveir...
07/11/2016
Um Maestro para a Liberdade

Novo post do Blog do site do Centro de Memória da Banda Liberdade conta um pouco sobre o maestro Epaminondas de Oliveira.
http://banda-liberdade-memoria.webnode.com/l/pra-ver-a-banda-passar/

Epaminondas de Oliveira, retratado pela camera de Eugênio Verzini foi imortalizado por seu talento musical e a vitória da Corporação Musical Liberdade no Concurso de Bandas Civis do interior, no Jardim da Luz, em São Paulo, em 5 de Setembro de 1909,

Página do novo site do Centro de Memória da Banda Liberdade aborda o Projeto de Preservação, que também recebeu inc...
06/11/2016
Projeto :: BANDA LIBERDADE Memória

Página do novo site do Centro de Memória da Banda Liberdade aborda o Projeto de Preservação, que também recebeu incentivo do Fundo Municipal de Cultura de São Roque.
http://banda-liberdade-memoria.webnode.com/projetos/

Higienização foi uma das primeiras medidas de conservação tomadas em relação aos objetos do Acervo da CML. Depois, os objetos foram submetidos à irradiação à base de Raio Gama. Um novo acondicionamento em móveis de metal se tornou necessário. Nas fotos, o passo-a-passo desse processo. Abaixo, conheç...

O site do Centro de Memória da Banda Liberdade entrou no ar hoje, como comemoração aos 120 anos de fundação da Corp...
06/11/2016
Filho de Músico... Contador de Histórias ele é

O site do Centro de Memória da Banda Liberdade entrou no ar hoje, como comemoração aos 120 anos de fundação da Corporação Musical Liberdade, finalizando o Projeto de Preservação do Acervo, realizado com incentivo à Cultura, através do Fundo Municipal de Cultura de São Roque. No Blog do site, a primeira matéria conta um pouco sobre Hypolito de Moura, um dos fundadores da CML.

Era um casarão comum no início do século passado. Nas suas salas de grandes janelas, as notas musicais transbordavam. O menino ficava do lado de fora da e seus ouvidos recebiam o sons que a alma jamais esqueceu. Piano, aprendeu sem nunca ter lido uma partitura.

BANDA LIBERDADE - 120 ANOSEm homenagem a todos os músicos que levaram o som da Corporação Musical Liberdade às praç...
06/11/2016
BANDA LIBERDADE Memória

BANDA LIBERDADE - 120 ANOS
Em homenagem a todos os músicos que levaram o som da Corporação Musical Liberdade às praças, ruas e teatros de São Roque por um século, estreia hoje o site do Centro de Memória da CML.
O novo espaço comemora também os 120 anos da Banda Liberdade, fundada em 1o. de Novembro de 1896.
E representa a finalização do Projeto de Difusão do Acervo do Centro de Memória da CML, projeto realizado com incentivo à Cultura, através do Fundo Municipal de Cultura de São Roque.
Sejam todos bem-vindos!
http://banda-liberdade-memoria.webnode.com/
Imagem: Mizael Garbim

PERSONAGENS MARCAM HISTORIOGRAFIA DA BANDA LIBERDADEA História marcada por personagens ligados à historiografia oficia...
19/09/2016

PERSONAGENS MARCAM HISTORIOGRAFIA DA BANDA LIBERDADE

A História marcada por personagens ligados à historiografia oficial é algo que a construção de uma abordagem crítica da história em sua tendência atual, até nas escolas, questiona e coloca em perspectiva.

No âmbito local, no entanto, se tomarmos como exemplo a construção da historiografia (entendida como o registro escrito da Historia) da Corporação Musical Liberdade - CML de São Roque, teremos na trajetória dos personagens, elementos para a reconstrução da linha do tempo da própria Banda Liberdade, e indicação de sua representação social e artística no contexto da sociedade são-roquense do século 20.

O Projeto de Difusão do Acervo do Centro de Memória da CML, contemplado no Edital 1/2015 do FMC está chegando ao final, o que prevê o lançamento do site oficial e nele, a inclusão de diversas possibilidades de exploração do acervo, como objeto de estudo e exemplo de preservação do patrimônio histórico local.

Uma das possibilidades é a história oral, o testemunho e o olhar daqueles que, de alguma forma, estiveram em contato com a Banda Liberdade, ao longo do século 20. Uma das vozes que darão luz a esta história é a de Décio de Moura, filho de um dos fundadores dessa corporação musical, Hypolito de Moura.

Nascido numa família de músicos, seu depoimento nos conduz rumo a uma viagem repleta de cenas nítidas, emoções, fatos históricos e lacunas que nos levam à procura de outras vozes, documentos e fontes para preenchê-las.

Convidamos todos a nos acompanharem nessa viagem, após o lançamento da página oficial da CML na internet, colaborando com contatos de pessoas que estiveram presentes no cotidiano da Banda Liberdade, fotografias e outros registros para o acervo a ser difundido.

Imagens: Décio de Moura. Texto e Fotos: Sílvia Mello

31/08/2016
São ROQUE MEMÓRIA 2 Banda Liberdade teaser

PRA VER A BANDA PASSAR
Este vídeo é um dos produtos do Projeto de Difusão do Acervo do Centro de Memória da Corporação Musical Liberdade de São Roque, que contou com ações de catalogação, fotografia e digitalização do acervo, além da implementação do site, que está em sua fase de conclusão. E o incentivo é do Fundo Municipal de Cultura de SR.

A Corporação Musical Liberdade, conhecida em São Roque - SP como Banda Liberdade, um dos ícones da cultura musical são-roquense, por um século esteve presente nos acontecimentos sociais, políticos, culturais, tradicionais e religiosos da cidade.

Primeira banda de São Roque, fundada em 1896 por intelectuais e músicos da cidade, entre eles, Casemiro de Castro e Joaquim de Oliveira, seu acervo composto por partituras, fotografias, documentos, instrumentos musicais, uniformes e quepes, além de móveis e obetos ficou guardado no prédio de sua sede, inaugurada em 1914, na rua Enrico Dell'Acqua.

Em 2014, por iniciativa de Sílvia Mello e com patrocínio local, teve início a preservação do acervo. O Projeto de Preservação teve continuidade em 2015, com incentivo do Fundo Municipal de Cultura de São Roque, o que permitiu a imunização do acervo com tecnologia à base de raio Gama.
https://www.youtube.com/watch?v=8iVScz2IPPA

BANDA LIBERDADE - SÃO ROQUE A Corporação Musical Liberdade, conhecida em São Roque - SP como Banda Liberdade, um dos ícones da cultura musical são-roquense, ...

PROJETO CULTURAL DIGITALIZA ACERVO DA BANDA LIBERDADEComo ter acesso a uma fotografia histórica que mostra os primeiros...
24/07/2016

PROJETO CULTURAL DIGITALIZA ACERVO DA BANDA LIBERDADE

Como ter acesso a uma fotografia histórica que mostra os primeiros integrantes da Banda Liberdade? Como utilizar essa foto para conhecer mais da História da Corporação Musical Liberdade e da cidade de São Roque, sem prejudicar a integridade da foto original, em papel?
Como ter acesso a um documento, manuscrito em bico de pena, que mostra uma prestação de contas anual da Banda Liberdade, assinada por seu então presidente e maestro Epaminondas de Oliveira, e relata todos os instrumentos musicais adquiridos ou consertados, bem como os títulos das partituras usadas e os lugares onde a Banda tocou em 1912?
Com a atual prática da internet e dos celulares com câmera, fica óbvio que é só fotografar tudo e colocar na “rede”, onde todos compartilham!
Mas, se quisermos realizar um trabalho sério de Educação Patrimonial, é importante fazer a gestão dos documentos e pensar em quais seriam os mais importantes e imprescindíveis numa pesquisa e na construção da historiografia da Banda Liberdade e, consequentemente, em sua ordenação numa Linha do Tempo, de modo a difundir dados pontuais e corretos.

HISTORIOGRAFIA

O termo historiografia é composto a partir dos termos “história” (que vem do grego e significa pesquisa) e “grafia” (que também vem do grego e significa escrita). Sendo assim, o próprio nome já contém o sentido mais claro da expressão, isto é, “escrita de uma pesquisa” ou “pesquisa que precisa de uma forma escrita, de uma narrativa”. De forma sucinta: uma escrita da história.
A historiografia, ou escrita da história, portanto, permeia toda a história das civilizações desde suas primeiras manifestações.
Assim, a historiografia da Corporação Musical Liberdade é o registro do que encontramos ao ordenar o arquivo de documentos, e que pode ser alterada a qualquer momento em que novas fontes e dados de pesquisa sejam descobertos.

PRIMEIROS PASSOS

Após as medidas de conservação e organização do acervo de documentos da Banda Liberdade, partiu-se para a catalogação, inicialmente das coleções de instrumentos musicais, uniformes, mobiliário, fotografias e documentos que registram a história do período inicial. Depois, foi o momento de organizar as partituras e decidir por uma forma de ordená-las de modo a fazer sentido e assim, catalogá-las, optando por iniciar pela coleção de partituras manuscritas e de autoria de músicos são-roquenses.

DIGITALIZAÇÃO

Os passos iniciais prepararam as coleções do acervo para a primeira etapa da digitalização, quando serão priorizados os documentos históricos e as partituras manuscritas. Esse acervo será difundido através do site na internet da CML, a ser lançado brevemente.
Esse é o resultado do Projeto de Preservação e Difusão do Acervo do Centro de Memória da CML, contemplado em sua etapa de Difusão, no Edital 1/2015 do Fundo Municipal de Cultura de São Roque.
Confira detalhes desse projeto na página Corporação Musical Liberdade – Memória, na rede social FB.

Imagens: Marcha em homenagem a Enrico Dell'Acqua e partitura que mostra a participação da CML nas Cavalhadas, encenação tradicional da batalha entre mouros e cristãos, que ocorria nas Festas de Agosto até meados do século 20, são destaques no Acervo do Centro de Memória da Banda Liberdade.

Texto e fotos: Sílvia Mello

ESSA HISTÓRIA É SUA! PARTICIPE!Todos os dias estamos trabalhando no Projeto de Preservação e Difusão do Acervo da C...
26/04/2016

ESSA HISTÓRIA É SUA! PARTICIPE!
Todos os dias estamos trabalhando no Projeto de Preservação e Difusão do Acervo da Corporação Musical "Liberdade" - Memória.
Epaminondas de Oliveira, o maestro, está nos contando muitas historias sobre a cultura e a vida na São Roque de outrora.
Agende sua visita. Rua Enrico Dell'Acqua, 102.
Foto: Sílvia Mello

21/04/2016

Hoje, das 10 às 13 horas estaremos na sede da Corporação Musical "Liberdade" - Memória. Conheça os projetos de Preservação e Difusão do Acervo do Centro de Memória. Apareça!

PRA VER A BANDA PASSAR...   -  Sílvia Mello Primeiros dias de verdadeira imersão no acervo centenário da Corporação...
16/04/2016

PRA VER A BANDA PASSAR... - Sílvia Mello

Primeiros dias de verdadeira imersão no acervo centenário da Corporação Musical Liberdade, a primeira a nascer em São Roque, em 1896, uma aventura emocionante, apesar dos riscos que a umidade do prédio da rua Enrico Dell’Acqua, sua sede desde 1914, ainda oferece aos objetos que contam a história cotidiana e dão testemunho daquilo que a cidade não sabia quando via a Banda passar. Uma história que vamos contar no sitio na internet do Centro de Memória da CML, através do Projeto de Difusão, contemplado no Edital 1/2015, do Fundo Municipal de Cultura.

Enquanto nas Alvoradas de Agosto, o som da Liberdade seguia-se ao tocar dos sinos, acordando as manhãs de festa, alguém se preocupava em rabiscar garranchos a lápis (sem se dar conta da ortografia, afinal alguns diziam “Árvaro”, entre o soprar do pistom e o tocar dos pratos), talvez para que muitos anos depois, alguém pudesse identificar Joaquim de Oliveira ou Casemiro de Castro, entre outros fundadores da Banda, numa photografia de 1901, quando as artísticas imagens capturadas pela câmera de Eugênio Verzini ainda não se viam pela cidade.
Em meio a partituras impressas com títulos em idiomas diversos (que não impediam a leitura, já que a linguagem musical é universal), provenientes da França, Alemanha, Itália, Argentina, encontramos também manuscritos em papel pautado e timbrado das grandes casas de música da cidade de São Paulo e do Rio de Janeiro, no começo do século 20, cujas notas musicais foram grafadas em bico de pena pelas mãos dos mais famosos copistas.

Partituras do 2º. tempo da ópera Fausto, de Gounod; da valsa Mariana, de Strauss, para piano; da peça Le Chemin du Coeur, de Paul Lincke ou da abertura da Preciosa, de Weber, para orquestra, poderiam ser encontradas na Casa Manon, na Di Franco, na Benedictis & Travaglia, na Pedro Tommasi, entre a Rua São Bento e a Barão de Piratininga, na velha São Paulo da Garoa; e talvez na Casa Mozart ou na Arthur Napoleão, na cidade do Rio, onde o Cristo Redentor ainda não abria seus braços para o céu. Assim, hoje nos denunciam a cor ainda vívida da marca dos carimbos nas já amareladas folhas de papel pautado, que passaram por mãos de maestros.

Talvez alguém chegasse com as partituras numa tarde qualquer de dezembro de 1913, tudo para que os músicos da Liberdade pudessem levar o som de seus instrumentos às aberturas das peças teatrais do Smart Cinema, no Pavilhão Popular, bem antes que em nosso imaginário viessem a se imortalizar o sabor da “Groselha da Íris” ou os heróis dos filmes projetados nas telas do Cine dos sonhos de Vasco Barioni, inaugurado num dia de São José, anunciando antecipadamente, em São Roque, a chegada dos Anos Dourados.

No editor de imagens desse nosso mundo virtual da segunda década do terceiro milênio, as marcas de cupim vão desaparecendo do terno alinhado, no retrato onde figura Epaminondas de Oliveira, imortalizado por seu talento musical e a vitória da Corporação Musical Liberdade no concurso de bandas, no Jardim da Luz, em São Paulo, em 1909, sob sua batuta. No belo rosto do jovem maestro, os olhos parecem querer dizer mais de sua história do que a fina caligrafia em bico de pena, num bilhete de agradecimento à homenagem da Banda pela passagem de seu aniversário. Em algum lugar da São Roque do passado, mocinhas casadoiras certamente suspiraram por ele, atrás de seus lencinhos de festa, como mostra a etiqueta de flores na moldura desse retrato: “Homenagem à laureada Corporação Musical Liberdade, das Senhorinhas de São Roque”.

E como nesses momentos ímpares de intimidade com a História, as sincronicidades magicamente acontecem, criando pontes entre fatos, de dentro de dois papéis brancos surge o cartaz da peça O Conde de Monte Cristo, com abertura da Corporação Musical Liberdade, feito na Tiphografia O Sãoroquense. Ao abrir uma pasta de documentos de contabilidade, ali estão as fotos da medalha de ouro ganha no concurso de 1909, mostrando que é chegado o momento de retornar para o acervo da CML.

Se redescobrir esses trailers sublimes da história da Banda Liberdade nos faz idealizar o passado de forma romântica, não é menos emocionante compreender através de documentos e registros do cotidiano, as dificuldades, sonhos e trabalho que diversas gerações que se sucederam ao longo de cem anos, experimentaram para manter viva a música nas ruas, coretos, praças e palcos. Emocionante ver o pequeno Clementino de Oliveira na foto de 1901, ao lado do pai, um dos primeiros professores do Grupo Escolar Bernardino de Campos, Joaquim de Oliveira (a rua em que morei desde que nasci leva o nome dele e, quando menina, sempre me perguntava quem seria esse professor), e vinte anos depois, o jovem Clementino como integrante da Banda em seu concerto no Ypiranga, em São Paulo, na comemoração do Centenário da Independência do Brasil, em 1922.

É só observar datas e nomes, para saber que os músicos adoravam um Vermouth comprado no Bar Guarany, lá pelos idos de 1930, para esquentar as frias noites dos invernos tradicionais de São Roque, após tocar na abertura dos espetáculos de circo. Ou as festas regadas a cerveja em que músicos e convidados comemoravam o aniversário da Banda, com baile, no início dos Novembros da primeira metade do século 20, na São Roque dos típicos casarões coloniais ou dos imponentes sobrados do final do século 19.

Nos livros-caixa, redescobrimos a efervescência do comércio de meados do século passado, em estabelecimentos como Casa Verani, Irmãos Boccato, Tagliassachi, Hotel São Roque e tantos outros que nos transportam para um tempo que sobrevive nas fotografias em preto e branco, com seus saraus, retretas nas praças, e uma apaixonante paisagem urbana, sem enormes placas, sem tantos fios elétricos ou de telefone, sem asfalto, talvez sem a saudade de um tempo no qual sequer se viveu.

O Projeto de Difusão do Centro de Memória da Corporação Musical Liberdade que conta também com a participação de um historiador e um designer gráfico, promete mais revelações e seu produto final baseia-se em pressupostos da museologia, com a missão de transformar o seu site num lugar de memória, de pesquisa e de cidadania. Sem deixar de alimentar o sonho de ver novamente uma Banda composta por músicos são-roquenses espalhar o encanto de suas notas musicais por nossas ruas, como prece que sobe aos céus, para que jamais se esqueça do espírito daqueles que nos legaram tão bela História, por caminhos da Arte e da Cultura.

Endereço

Rua Enrico Dell'Acqua, 102
São Roque, SP
18130-460

Telefone

(11) 99747-1996

Notificações

Seja o primeiro recebendo as novidades e nos deixe lhe enviar um e-mail quando Corporação Musical "Liberdade" - Memória posta notícias e promoções. Seu endereço de e-mail não será usado com qualquer outro objetivo, e pode cancelar a inscrição em qualquer momento.

Entre Em Contato Com O Museu

Envie uma mensagem para Corporação Musical "Liberdade" - Memória:

Categoria

Museus nas proximidades